Sangue Tipo B: os sensíveis

Para a Leitura Corporal, o sangue tipo B é o sangue dos sensíveis. Os Indivíduos que participam desse grupo sanguíneo têm a habilidade de reconhecer e vivenciar as emoções em todas as suas nuances e experimentar, sem dificuldades, as polaridades inerentes a todo e qualquer sentir. Suas emoções mudam com rapidez, e eles têm muito desenvolvida a capacidade de lidar com a própria fluência. Quando se autorizam manifestar essa variação, passeiam pelas emoções sem conflitos, com a maior naturalidade.

Desejam muito e de repente já não sentem necessidade de possuir; estão dispostos e daí a pouco já se indispuseram; conseguem amar e odiar ao mesmo tempo. Para qualquer outro mortal, esses experimentos podem ser de uma contradição enlouquecedora. Mas para o tipo B, não há nada demais – afinal, são só polaridades de uma mesma coisa.

Estar na vida conforme as sensações do momento é uma habilidade rara, exceto para os Indivíduos de sangue B. O compromisso de permanecer em nome das regras e da obrigatoriedade que é para eles um desafio. As formalidades interpõe sua fluência, por isso para o tipo B quanto menos leis, melhor.

O desenvolvimento das funções pélvicas é tarefa desse grupo. A proposta dos sensíveis é desenvolver em si e ensinar a todos sobre a intimidade – a mola mestra do desejo de continuidade. Esses indivíduos sabem viver a intimidade como ninguém, e uma vez livres para dizer o que pensam e querem, têm alimentado o desejo de permanência, por maior que seja a inconstância dos seus sentires. É no campo da privacidade que eles mais fluem, aprendem e ensinam a trocar sem restrições, e desenvolvem-se em mais uma de suas incumbências: praticar a autoaceitação e, por extensão, a aceitação do outro.

São indivíduos maternais, promotores de aconchego e hábeis criadores de alianças. São tão capacitados a cuidar, que precisam cuidar para não se apossar da liberdade do outro. Possuem uma grande sensibilidade comunicativa e um poder hipnotizante de convencimento,  sabem influir e promover mudanças em seu entorno. Por isso também é muito importante que o tipo B se permita mudar de condutas, opiniões e escolhas quando identifica que o seu sentimento em relação a algo também se modificou. Assim fazendo, eles se tornam representantes do direito, de todos, de experimentar todas as emoções.

Os sensíveis vieram para quebrar o dogma da rigidez dos sentimentos. Fazemos listas e mais listas de sentimento que pode e que não pode. Mas o sentir insiste em fazer-se manifesto, e os de sangue tipo B ensinam que sentimento é para ser expresso e vivido. Quer queira quer não, eles existem. Que saibamos aproveitá-los!