Nádegas: recomposição de posturas

A Leitura Corporal entende o sistema imunológico como o conjunto de estruturas que trabalha para desenvolver a habilidade da convivência. Dele participam o timo, o baço, o sistema linfático, os leucócitos e nádegas.

Todos esses segmentos estimulam e favorecem a interação do indivíduo com as diversas formas de vida que o preenchem e o cercam. Longe de querer preservar o corpo das influências de outros seres, o sistema imunológico trabalha justamente para que essas relações possam acontecer sem que isso signifique qualquer mistura, confusão ou perda da integridade.

A função específica das nádegas é ordenar as ações necessárias à preservação do que distingue, caracteriza e apresenta o indivíduo. A nádega direita estimula o bom uso da privacidade, precavendo as exposições indesejadas e auxiliando o encontro de saídas para os apertos da vida social. A nádega esquerda organiza a defesa dos interesses e dos propósitos pessoais, gerenciando mudanças de atitudes, escolhas e  direções. Juntas, as nádegas trabalham com as ações de autorrefazimento, sobretudo na vivência de situações embaraçosas.

Os sintomas das nádegas favorecem o aprimoramento da sagacidade, da versatilidade e da prontidão. Com a energia fluente nessa região, o indivíduo se compõe e recompõe com destreza, mantendo-se inteiro em qualquer que seja a circunstância.

Não há nada que possa enfraquecer mais o sistema imunológico do que a evitação da convivência. É nela e a partir dela que cada indivíduo aprende a se relacionar, mantendo-se no próprio eixo. E as nádegas garantem que nenhum constrangimento precisa perdurar – com massagem ali e fé em si, a integridade pessoal sempre prepondera.