Intestinos e coração: usufrutos dos direitos para a expressão dos afetos

Para a Leitura Corporal, coração e intestinos estão intimamente relacionados. O coração, que organiza as maneiras como o Indivíduo lida e expressa seus afetos, estrutura o seu trabalho a partir do desenvolvimento do direito a ter direitos, mobilizado pelos intestinos. A realização desse direito passa, em especial, pela vibração do cólon transverso – a porção mais larga do intestino grosso, responsável pela ativação do exercício do usufruto. Afinal, para a Leitura Corporal, só se possui verdadeiramente um direito quando é ativo o desfrute dos direitos que, desde sempre, já se tem: o direito de querer o que se quer, de possuir o que se precisa, de elaborar segundo as próprias noções, de variar as emoções, e de viver e agir segundo o sentimento do momento.

A afetividade movimentada pelo coração é nutrida pela capacidade de usufruir de todos esses conteúdos que compõem o interno de cada um. Quanto mais o Indivíduo se permite ter direitos, mais facilmente experimenta, desenvolve e enriquece sua afetuosidade. Quanto mais intensos os limites e as imposições que se coloca, mais restrita é a vivência de seus afetos, e o corpo pode necessitar de sintomas cardíacos para restabelecer o fluxo do sentir, do permitir-se sentir e do expressar.

A Leitura Corporal indica a limpeza intestinal antes de qualquer procedimento cardiológico. Purificando os intestinos, organiza-se a base das noções de direito e usufruto, facilitando assim a fluência dos afetos abrigados pelo coração.