Fraturas ósseas: um impulso para a quebra de padrões comportamentais

Para a Leitura Corporal, a estruturação dos comportamentos é uma atividade desempenhada pelos ossos. São as células ósseas que organizam as formas de manifestação do SER, materializando, através das condutas, a essência de cada indivíduo.

Os ossos são flexíveis e mutantes. Estimulam sempre a reciclagem e a renovação, trabalhando para que a expressão do psiquismo seja fiel ao conteúdo do momento que está sendo vivenciado. Quando os padrões comportamentais dificultam a incorporação e o assumir de posturas e trajetórias indispensáveis aos movimentos evolutivos de cada SER, os comprometimentos ósseos se apresentam como uma via para a reorganização daquelas condutas que, embora possam parecer adequadas e satisfatórias, na verdade impossibilitam a experimentação sincera do bem estar e da autossatisfação.

AS FRATURAS CRIAM OPORTUNIDADES PARA A REESTRUTURAÇÃO DE SI

As fraturas ósseas são manifestações que propõem uma mudança drástica de postura. Acontecem quando se revivem situações que evidenciam o comportamento ou a atitude que precisa ser vista e modificada, incentivando que o indivíduo se faça as perguntas e busque as respostas necessárias à adequação de suas condutas aos próprios intentos.

Para a Leitura Corporal, as fraturas são uma ótima oportunidade para mudarmos, literalmente, de patamar. Se as aproveitamos bem, o calo ósseo se forma de maneira rápida e precisa, o osso se torna mais saudável do que era, e ganha-se muito sangue novo para a construção de uma nova referência de si e de um jeito de ser mais próximo da real identidade.

Assim nem fica ruim quebrar algum osso, não é mesmo? Mudar padrões de comportamento não é nada fácil, e uma fratura óssea pode ser uma santa ajuda! Que aprendamos, com os nossos ossos, que há infinitas maneiras de conduzir nossas ações, e que podemos e devemos sempre adequar nossas condutas ao fluxo ininterrupto da vida.