Escápulas: as asas do Indivíduo

As escápulas, na visão da Leitura Corporal, são consideradas as asas ou o leme do Indivíduo. Seu trabalho é dedicado à criação e recriação de rumos, através da ativação do poder pessoal de concretização e da estimulação de posturas e comportamentos que colocam o Indivíduo como agente da própria história.

A região escapular realiza o processamento de impulsos que visam alterar as situações preestabelecidas, transformando a realidade pessoal. O fluxo enérgico se desorganiza quando o Indivíduo resiste ao desejo de experimentar o novo, apegando-se a padrões comportamentais que já se mostraram defasados em relação aos movimentos internos. Os incômodos escapulares e da faixa muscular correspondente também sinalizam o predomínio do fazer pela obrigatoriedade, bem como o aprisionamento na culpa por não fazer ou fazer de forma imperfeita.

Quanto maior a liberdade para sonhar com novas rotas, experimentos e realizações, maior a saúde das escápulas. Nada como um sintoma na região escapular para escapulir daquilo que não mais motiva ou satisfaz. E se o desejo de mudança vier acompanhado da culpa, as escápulas também ajudam a processar esse sentimento, transformando-o em caminho para a descoberta de formas mais amorosas de autorrealização. Afinal, ao Indivíduo que fizer bom uso de suas asas, nunca lhe faltarão novas possibilidades.