Costelas: as guardiãs do 3º Centro de Força

Para a Leitura Corporal, a mais importante função das costelas é proteger os movimentos de individualização e de identificação pessoal. Consideradas as guardiãs do 3º Centro de Força, o Centro da Identidade e da Individualidade, as costelas orientam os processos de exposição dos conteúdos internos, definindo o quê, como e em qual intensidade será revelado ou preservado, a cada momento.

As costelas criam recursos para que o exercício da sociabilização aconteça de forma a preservar a integridade pessoal.  Elas equilibram os movimentos de inspiração e expiração, de expansão e contração, de demonstração e contenção, de transparência e opacidade, estimulando a efetivação do desejo da troca e, ao mesmo tempo, evitando tanto a exposição inadequada quanto a inexpressividade. Seu trabalho tem como meta evoluir a prática da sociabilização amorosa.

Os sinais e sintomas da grade costal são recursos do corpo para que o Indivíduo reveja acordos, disponibilidades ou negociações que o levaram a se expor de forma desequilibrada, tanto para mais como para menos. Na medida em que encontra novas formas de revelar-se ou de guardar-se, segundo os próprios princípios de autopreservação, o Indivíduo propicia a si a cura de suas costelas, colocando-se em um novo estágio no desenvolvimento da sua integridade.