Birra: fazer-se visto e ouvido

Para a Leitura Corporal, a birra é um comportamento relacionado às funções da faixa superior do abdômen e do fígado.  A faixa superior do abdômen processa o exercício da autoridade, isto é, o reconhecimento e a prática assumida de ser o autor da própria história. O fígado, que é a morada da alma, conhece os porquês e os para quês dessa existência e vibra a conquista da localização de si nas várias circunstâncias da vida.

A birra é resultante de uma desorganização do fluxo energético da faixa superior do abdômen, somada à necessidade da autolocalização. Ela nasce do sentimento do Indivíduo de não ter sido ouvido, tendo assim a sua autoridade desconsiderada. O comportamento birrento é um recurso para fazer-se visto, como forma de conquistar a autoria dos próprios movimentos.

É por isso que a Leitura Corporal acredita que o antídoto para as birras é a escuta. Em vez e conter a birra, dizer “diga!”. E esperar, em silêncio, até que o Indivíduo dê vazão à sua energia hepática e se localize. Uma vez confiantes na escuta de suas falas, crianças e adultos organizam em seus corpos o fluxo da autoridade, aprendendo a participar e a negociar nas decisões que o envolvem.