Osteoporose: chega de mesmice!

Para a Leitura Corporal, os ossos são as estruturas que materializam a essência da Vida, dando forma aos conteúdos psíquicos de cada Ser. Coordenadas pelo 1º Centro de Força, as células ósseas são verdadeiros arquivos dos modelos básicos de atuação próprios a cada espécie. Elas guardam a memória da forma mais primitiva de efetivação de um impulso, os registros mais elementares para a estruturação comportamental, que servem como base para a criação individualizada das infinitas formas de expressão. É desejo de cada célula óssea, portanto, que a partir de um impulso primário, estejamos sempre dispostos a reinventar e aprimorar sua exteriorização, de acordo com as particularidades da nossa Individualidade e com os sentires do aqui e do agora.

A osteoporose é uma manifestação se instala com o objetivo de reativar a vontade de renovar, de instituir o novo e, se necessário, recomeçar. Seu intuito é trazer a consciência de que a experimentação do prazer no cotidiano está reduzida, estimulando no Indivíduo a disposição e o ânimo para experimentar outras formas, para acolher o inusitado, e assim tornar o cotidiano criativo e aprazível. É um verdadeiro antídoto para a “mesmice”, para os comportamentos que de tão estabelecidos parecem inalteráveis, mas que em verdade não o são, pois o Corpo Físico só adoece quando o Indivíduo se encontra psiquicamente preparado para a transformação.

Fazer apenas o que é básico, conhecido ou o instituído, enfraquece os ossos e limita os processos e a noção de expansão, maturação e crescimento. É o fazer renovado que amplia as possibilidades do encontro e da conquista de coerência entre o ser e o estar, entre o sentir e o agir, e que gera o sentimento de que se está em evolução. Portanto, cuide bem dos seus ossos: renove-se e invente muita moda!