Ligamentos: os fiscais dos nossos intentos

Os ligamentos, os feixes de fibras colágenas que limitam e direcionam os movimentos articulares, são para a Leitura Corporal as estruturas corporais que trabalham para que o intento gerador de uma ação se preserve no decurso de sua realização. Eles atuam como fiscais do impulso da energia, cuidando para que as intenções e propostas iniciais não se dissipem ou desviem. Assim, seja promovendo a retomada de caminhos ou incentivando a variação nos trajetos, os ligamentos buscam manter o teor do propósito inicial.

Estiramento ou rompimento ligamentar

O estiramento ou rompimento ligamentar acontece quando o indivíduo está se conduzindo por um caminho absolutamente diferente daquele que foi definido inicialmente. O corpo interrompe momentaneamente o fluxo do movimento para que se tenha tempo para observar os desvios e recolocar-se no caminho de acordo com o propósito inicial.

Hiperatividade ligamentar

O ligamento se torna hiperativo, isto é, tenso ou rígido, em um esforço do corpo para suprimir a atitude de dispersão ou divagação vivenciada durante a realização de um propósito. A elasticidade do ligamento diminui para que seja dado um maior senso de objetividade e direção ao movimento.

Hipoatividade ligamentar

Por fim, a hipoatividade ou frouxidão ligamentar acontece com o objetivo de minimizar a atitude excessivamente direcionada, que não permite considerar nada além do que foi preestabelecido. O ligamento reduz seu tônus para que o indivíduo não se faça tão preso ao que foi programado, autorizando as variações necessárias para que se mantenha a intenção do movimento.                             

É através dos ligamentos que se conquista coerência dos fluxos, garantindo que cada movimento esteja sustentado pelo sentimento e pela emoção que gerou o ato da expressão.

Gostou? Não deixe de comentar.