Joelho: Centro da Valorização Pessoal

Os membros inferiores são formados pelos segmentos que organizam as habilidades da sustentação de si e do caminhar pessoal. A partir dos impulsos mobilizados pelo abdômen, o Centro Gerador das Emoções e Sentimentos, os membros inferiores projetam o quê fazer e como fazer, para que a expressão dos anseios internos se faça de forma clara, legível e bem sucedida.

Os membros inferiores estão em plena atividade enquanto se está pensando sobre um projeto.  Na compra de uma casa, por exemplo: a coxofemoral imagina a casa, a coxa elabora o processo de construção, o joelho avalia o projeto, a perna contrata o engenheiro e os pedreiros, os tornozelos garantem estabilidade e os pés acionam os passos.  Nesse processo, a função específica dos joelhos é a apreciação daquilo que foi elaborado pela coxa, segundo as intenções, as motivações e os valores que originaram o desejo pelo movimento.

O joelho avalia as prioridades e as trajetórias determinadas, observando se os planos estão de acordo com as necessidades internas. Ele trabalha para que o indivíduo experimente o sentimento de estar capacitado para caminhar com autenticidade, prazer e felicidade.  Uma fisgada no joelho durante a elaboração de um projeto pode ser um sinal de que o raciocínio está seguindo uma trilha diferente daquela que levaria à  satisfação pessoal.

O joelho direito costuma se manifestar quando a valorização de si está muito ancorada na comparação com o outro. Seus sintomas estimulam que o indivíduo se coloque como referência para o autodesenvolvimento, valorizando o que lhe é próprio, o seu jeito de ser e as suas competências naturais.                                                                                                         Já o joelho esquerdo altera a sua funcionalidade quando é necessário promover a aceitação e o acolhimento das transformações pessoais. Ele atua favorecendo auto-observação amorosa, que potencializa a permissão e a tranquilidade para a autocorreção.

Tanto o sentimento de menos valia quanto a soberba sinalizam que o fluxo de energia dos joelhos está desequilibrado – ambos indicam a insuficiência do autovalor. A atuação dos outros, da sociedade, pode facilitar ou dificultar a consciência do próprio valor. Mas impedi-la, nunca, pois os joelhos estão sempre ali, vibrando o amor próprio e o reconhecimento do valor exclusivo que cada um de nós tem.