Intuição: uma habilidade inerente a todos

Para a Leitura Corporal, a intuição é a habilidade que permite ver, perceber e discernir de forma clara e imediata, promovendo o conhecimento e a compreensão por caminhos diferentes daqueles utilizados pela razão ou pelo saber analítico.

A intuição é uma inteligência ativada pelo 1º Centro de Força, através das funções dos glomérulos (saiba mais), as unidades funcionais dos rins que guardam a matriz de todas as habilidades tidas como “extrassensoriais” – as quais, aos olhos da Leitura Corporal, nada têm de extras, já que são potencialidades inerentes à sensibilidade de todos da espécie humana. O desenvolvimento e a aplicabilidade de competências como a intuição, a inspiração, a telepatia, a leitura das entrelinhas, entre muitas outras, dependem tão somente da crença do indivíduo e da vontade de desenvolvê-las.

A vibração sutil da intuição é aproveitada, na vida prática, pela articulação sacrococcígea, que gerencia as atitudes tomadas a partir do que é percebido intuitivamente ou ativadas pelo instinto; pelo terço superior do nariz, que estimula o envolvimento com o que é sutilmente captado; e pela sétima vértebra cervical (C7), que estrutura o agir que atende à intuição.

Para abrir os portais da intuição, a Leitura Corporal sugere colocar uma pequena porção de água na boca, imaginando que a língua sustenta e eleva a camada de água até comprimir suavemente o palato duro; depois, deixar que a água escorra pelas paredes da garganta, principalmente pela parede posterior. Essa prática favorece a entrada no estado meditativo, além de ascender os desejos e ativar a sexualidade – funções essas que sempre andam juntas, e que juntas propiciam o contato e o aproveitamento concreto das pulsões mais sutis da consciência.