Hérnias: os freios do auto-atropelo

Para Leitura Corporal, as hérnias são manifestações que têm o objetivo de frear a prática continuada, habitual e, às vezes, até desapercebida do autoatropelo. Elas se apresentam nos segmentos cujas funções se relacionam aos temas, contextos e circunstâncias nos quais o indivíduo está se atropelando, obrigando-se a cumprir, custe o que custar, aquilo que assumiu como compromisso.

É comum que os quadros de hérnia sejam precedidos por distúrbios gengivais, que são instrumentos do corpo para regular a atividade da autoexigência. As gengivites surgem quando o indivíduo negligencia os limites de segurança e de suporte interno, expondo-se ao cansaço e ao stress e, assim fazendo, enfraquece sua energia vital.

Visão da Leitura Corporal para estruturas onde é usual a manifestação das hérnias

Vértebras Lombares: processam as formas de lidar com o medo, com a insegurança e com a instabilidade, motivando a elaboração de uma forma confortável e satisfatória de viver.

Vértebras Cervicais: incentivam a vivência do prazer, da abundância, do merecimento e da satisfação, criando formas de manifestar e realizar os desejos pessoais.

Umbigo: considerado o “Centro Estimulador da Validação das características pessoais e do Contato Consigo”, ativa os movimentos de autoconhecimento e autoaceitação, desenvolve o sentimento de confiança e respeito por si, e trabalha pela valorização e pela expressão, firme e segura, da própria identidade.

Não se esqueça que o autoatropelo leva o indivíduo a um desgaste desnecessário de sua energia de essência, e muitas vezes sequer promove um real avanço na caminhada pessoal. Respeite seus limites internos e, caso uma hérnia venha ajudá-lo, aproveite-a para escapar das situações de enfrentamento que criou para si. E siga sempre no próprio ritmo!