Fígado: assertividade e objetividade para os propósitos do SER

Para a Leitura Corporal, o fígado é a “Morada da Alma”, pois nele estão inscritos todos os movimentos previstos e programados pelo SER na escolha do seu processo encarnatório. O fígado traduz as vibrações sutis da alma para a condição humana, bombeando os impulsos de objetividade (a clareza em relação ao que é sentido) e assertividade (a capacidade de canalizar, direcionar e tornar realizáveis os propósitos do SER). É por isso que a Leitura Corporal também o nomeia como o “Centro de Definição da Trajetória de Vida e de Processamento da Assertividade”

As pulsões emanadas pelo fígado alimentam, entre outros segmentos:

  • as mamas, consideradas o “Centro de Organização dos Impulsos de Objetividade”, que processam a energia da objetividade, transformando em propósito aquilo que é sentido, e promovendo a tomada de consciência do objetivo criado;
  • a faixa anterior dos membros inferiores (faixa correspondente aos limites e à largura da área da patela), que trabalha com a organização consciente do caminhar, encaminhando os impulsos para que o indivíduo vá ao encontro de seus objetivos;
  • o segundo dedo da mão, o “Dedo da Orientação e do Direcionamento”, que mobiliza a ação direcionada e assertiva, vibrando determinação e objetividade. 

Todo impulso objetivado tem muito mais possibilidades de concretização. Mas muito mais importante que levar a cabo os objetivos criados é conhecer o sentido da aplicação da própria energia, é disponibilizar-se para experimentar as diferentes formas de realização de um intento, sem se deixar atropelar pela ânsia da realização.

Se existe um objetivo, tem-se o fogo do fígado aceso, um corpo motivado e uma alma sorridente. Portanto, objetive-se!