Estrias: o direito de não fazer

Para a Leitura Corporal, a estria é uma manifestação que tem o intuito de despertar no indivíduo a liberdade para não se comprometer ou para liberar-se do compromisso de cumprir com tarefas ou condutas que estão além das suas possibilidades naquele momento. Sua presença facilita a compreensão dos limites pessoais em relação às habilidades, à disponibilidade e/ou à querência para realizar atividades ou exercer papéis. Mais especificamente, a estria trata o hábito de adiar o cumprimento das responsabilidades assumidas, quando em verdade o indivíduo não se sente apto para efetivá-las.

O objetivo da estria é que o indivíduo se dê o direito de assumir que não pode, não sabe ou não quer, libertando-se do peso das promessas não cumpridas e do sentimento de autodepreciação que as mesmas podem suscitar. Quanto mais se permanece no adiamento, menos consciência se tem das próprias limitações. E para que possamos ser efetivos e verdadeiramente produtivos, é imprescindível saber até onde vão nossas aptidões e nossa disponibilidade.

Aproveite suas estrias, portanto, para conhecer-se dentro dos próprios contornos, e permitir-se não fazer, sempre que necessário. Assim não há de faltar tempo para se realizar, verdadeiramente, dentro das próprias competências.