Câimbra: uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa

Para a Leitura Corporal, a câimbra é uma manifestação que sinaliza que se está “dando o nome errado aos bois”. Seu objetivo é que o indivíduo observe que a significação dada a uma experiência não condiz com a verdade do seu sentir. Em outras palavras, a câimbra nos convida a identificar e nomear nossos movimentos de acordo com os reais sentimentos que eles suscitam.

A câimbra é um esforço do corpo para que o indivíduo não se deixe conduzir mais pelas razões da racionalidade do que por aquilo que ele de fato vivencia. Ela se faz presente nos segmentos cujas funções se relacionam aos temas que estão sendo inadequadamente representados, com o intuito de que os sentires sejam validados, mesmo quando apontam para direções muito diferentes das justificativas que o indivíduo encontra para suas ações.

Não é por acaso que a panturrilha é uma das áreas mais comuns de câimbra. Relacionada aos intestinos, a panturrilha trabalha pela satisfação das necessidades básicas de sobrevivência, acionando o movimento para a conquista de tudo que pode trazer experimentação do bem estar. E esse é ou não é um tema onde a gente com frequência troca os nomes?

A clareza e o domínio absoluto sobre a nomeação adequada a cada experiência não é sempre possível, e podemos viver no nosso cotidiano algum grau de inadequação sem que a dor da câimbra seja necessária. Mas quando a significação se distancia demais da realidade vivenciada, ela vem em nosso auxílio.

Portanto, se apareceu a câimbra, pare um bocadinho e localize o que você está sentindo. E não se preocupe, que ela só chega quando estamos preparados parar lidar com aquela verdade com o exato nome que ela tem!