Articulações: as organizadoras do movimento

As articulações são as estruturas que filtram e canalizam os impulsos em trânsito, equilibrando o exercício da ponderação e da impulsividade no processo de expressão de uma pulsão. Para a Leitura Corporal, ponderar é sinônimo de organizar as ideias e os propósitos, adequando o movimento de experimentação daquilo que se quer à disposição, às habilidades e às possibilidades do indivíduo. Significa, em outras palavras, “colocar do próprio tamanho”, criando parâmetros pessoais que tornam viável a realização de um intento.

A saúde das articulações está relacionada à livre experimentação. Para que se tenham elementos para articular um movimento, é preciso, antes de qualquer coisa, que ele aconteça. Por isso, a ponderação não é um ato que antecede o fazer, mas que acompanha o seu curso e fornece os elementos para os ajustes necessários.

As articulações trabalham para que nenhuma pulsão paralise até que se alcance a experimentação e o movimento. Podem manifestar sintomas quando há ou impulsividade ou ponderação em excesso, sempre com o objetivo de encontrar a maneira adequada para que o experimento se concretize.

Veja abaixo a função de algumas articulações do corpo:

Temporomandibular (ATM): considerado o “Centro de Mobilização da Expressão Falada”, a ATM filtra e canaliza os impulsos de expressão verbal, registrando os estados de “autocontenção” na expressão.

Glenoumeral: é para a Leitura Corporal o “Centro de Organização da Expressividade”. Transforma o que é intenção e vontade de expressar em expressão verdadeira e materializada, ativando o processo de elaboração da ação.

Coxofemoral: como “Centro Estimulador do Poder Criativo”, a coxofemoral incentiva a inventividade, a prática do improviso, a experimentação do inusitado, a descoberta das habilidades e dos talentos pessoais.

Quer saber de mais alguma? Conte para gente!