Amadurecimento é apropriar-se de si mesmo

Aos olhos da Leitura Corporal, todas as estruturas gerenciadas pelo 3º Centro de Força – o Centro da Identidade e da Individualidade – estão primariamente ocupadas com a tarefa de gerenciar o nosso amadurecimento. Os órgãos abdominais (pâncreas, fígado, baço e vesícula) e segmentos como o joelho, o queixo, o umbigo e a mama trabalham com os componentes básicos do processo humano de maturação: o reconhecimento, a apropriação e a expressão das características particulares que fazem de cada membro da nossa espécie um indivíduo absolutamente particular.

É através da atividade do Centro da Identidade e da Individualidade que se desenvolve a forma pessoal de perceber, de significar e de representar as experiências que, pertencendo a toda a humanidade, encontram em cada indivíduo uma configuração única. Em verdade, são tantas as possibilidades do humano que nada pode ser tão prejudicial ao processo pessoal de maturação do que a busca por se fazer caber em expectativas, tabelas e padronizações.

Por isso, para que a energia movimentada pelo 3º Centro de Força encontre fluência, é necessário a cada indivíduo encontrar conforto e tranquilidade para lidar com seus próprios caracteres. Independe de quais forem, é somente a sua expressão que abre espaço para a ciência de si e para o autoaprimoramento.

Tudo o que existe é passível de mutação, desde que seja expresso e assumido como próprio. A contenção e o controle das pulsões do interno tira do indivíduo a oportunidade de se conhecer, de se educar e assim colocar-se como agente responsável por si e pelo seu processo de amadurecimento.