Alergias: esforço de adaptação

Para a Leitura Corporal, as alergias são manifestações que sinalizam que o Indivíduo, diante de algo que o incomoda, está em um esforço de adaptação que ultrapassa a sua vontade e os seus limites de tolerância. Os processos alérgicos acontecem com o intuito de trazer à consciência que se está impondo a convivência com situações nada aprazíveis como se fossem agradáveis. Ou, em outras palavras, que se está fazendo com cara de quem gosta algo que, em verdade, não se gosta nem um pouco.

As alergias se subdividem em dérmicas, respiratórias e intestinais. Para a Leitura Corporal, a pele, os intestinos e os pulmões são estruturas irmãs. Compõem sistemas que, de forma muito especial, se complementam e se ajudam, trabalhando um para que os outros encontrem equilíbrio e funcionalidade.

Os processos alérgicos na pele, intestino ou pulmões, são fenômenos que favorecem a cada um de nós tanto o reconhecimento daquilo que desgostamos como a liberdade para gostar ou não, para querer ou não, para poder ou não. São estímulos para que sejam criadas possibilidades de convívio com o incômodo, sem desconsiderá-lo ou camufla-lo e, sobretudo, sem o compromisso de sentir-se bem, alegre e satisfeito.

Para evitar ou tratar as alergias, portanto, não se esqueça de representar seus desconfortos. É esse o primeiro passo para que a convivência, com qualquer que seja o estímulo, se faça de forma sadia e verdadeira.